Por favor, avise que esteve aqui, deixando pelo menos um "oi"!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

DESABAFO


Tem coisas que não consigo entender!

Há quase quatro anos em Montes Claros, na medida do possível tenho participado de encontros de formação e retiros diversos.

Encontramos pessoas que se dizem convictas de sua fé e outro um tanto quanto confusos. Há ainda o que vão na onda...

Tenho pedido a Deus que me honrasse com a graça do discernimento, para professar sem medo minha fé, exercendo a capacidade de separar o joio do trigo.

É preciso ter cuidado com nossas ações, gestos e palavras, pois a quem nada conhece nada lhe será cobrado, mas há quem muito foi dado, muito será cobrado.
Lembro-me de um episódio onde nos encontrávamos em um momento de oração em encontro para catequistas e quem presidia começou a indagar-nos, a respeito da espiritualidade, pedindo para fechar os olhos, colocar a mão no coração. Enfim...

Permaneci na mesma posição, procurando concentrar-me em Jesus, e pedindo insistentemente o seu auxílio e a Minha Mãe Maria a qual tanto venero.

E o pregador começou a proferir as seguintes palavras: “Hoje se vocês ainda não oram em línguas, passarão a orar”... serão batizados no espírito...

Foi muito estranho, acredito num só Batismo, e era como se este homem tivesse tamanha autoridade para ministrar os dons de Deus, dando-os a quem bem quiser e quando quiser.

Já participei de inúmeros acontecimentos semelhantes, e eles estão sempre querendo impor-nos o dom das línguas, como se o possuíssem. As palavras ou sílabas proferidas são sempre as mesmas: shilarabaria cantara... Estranho isso, Para mim, oração em línguas até onde sei é oração em "línguas", e não uma repetição de sílabas sem origem nem sentido. Em todo encontro desse tipo sou alvo dos mais diversos olhares e julgamentos, por ter minha própria espiritualidade, meu próprio jeito de rezar, de louvar, e não seguir o que todos fazem.

O ponto até de pensar que eu estava resistindo à ação de Deus. No final, pediram-me "desculpas por qualquer coisa", pois haviam percebido que meu único "problema" era NÃO SER CARISMÁTICO. O repouso no Espírito. Esta é das mais conhecidas práticas carismático, que acontece até mesmo em missas, o que para mim é um tremendo absurdo, pois nada tem a ver com a liturgia.

A ação de Deus não pode ser à toa. Quando Ele nos toca, sempre ocorre uma mudança. E não é o que vemos na grande maioria dos membros da renovação carismática, que dentro da igreja são servos fiéis do Senhor, mas fora dela, praticamente nada os diferencia daqueles que ainda não conhecem a Deus. Esta situação não está restrita aos carismáticos, mas a partir do momento que se dá um testemunho, espera-se no mínimo que o portador tente viver o que prega.
A Pastoral da Juventude, muito me ajudou a ter coragem de ser quem sou, e viver minha própria espiritualidade, e como catequista é isso que levo isso comigo, pois homem nenhum pode lhe dizer como rezar, pois isso foi o próprio Cristo quem nos ensinou.

Já participei de diversos retiros e sempre saio renovado e devo isso à graça de Deus que nunca deixou de se manifestar em mim só porque não sou carismática. O que é contrário àquilo que os carismáticos pensam e ensinam.
Em uma determinada paróquia, pude presenciar algo que me causou tamanho mal estar, que não pôde permanecer no local nem mais um minuto além do necessário para concluir o objetivo pelo qual estive lá, que era assistir a uma peça de teatro. Qualquer cristão sabe que a sexta-feira santa é um dia de recolhimento, pois lembramos à crucifixão e morte de Jesus Cristo. Não é dia de festa. Quando cheguei nesta paróquia, havia uma banda em cima de um palanque enorme ministrando uma espécie de show. Mas isso não é tudo. As canções proclamavam sem a menor sombra de dúvida a ressurreição de Cristo. Sem falar que na quaresma inteira se canta e se profere aleluias e louvores, com palmas e danças nas paróquias carismáticas. Puxa vida, mas nem na quaresma?
Eu não concordo com isso! Eles fogem completamente da liturgia, "oram em línguas" durante a missa. O que estão fazendo com a Igreja Católica?

Ainda não acabou. Pelo que sei, com meu limitado conhecimento, o único dia em que se tem permissão para sair com o Santíssimo exposto pelas ruas é na celebração de Corpus Christi. Porém, este fato ocorreu nesta mesma paróquia. Sabe qual foi à desculpa que me deram quando questionei? Que o foi só em algumas ruas. Sem comentários...

Meu objetivo não é julgar quem age certo ou quem age errado. Mas quero defender a Igreja, porque ela é Santa. Somos nós, com nossos pecados e maus exemplos que manchamos sua fachada, mas seu interior permanece ileso, porque Cristo é a Cabeça. Deus me chama todos os dias, assim como chama a cada um, com uma missão diferente para cada um, a cada dia.

E qual é sua opinião?

Um comentário:

  1. Faço minhas as suas palavras, com todo respeito a quem pensa diferente.

    ResponderExcluir

Fique a vontade, sua opinião é muito importante!