Por favor, avise que esteve aqui, deixando pelo menos um "oi"!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

CATEQUISTA UNIDOS 2012



LISTA ATUALIZADA DOS CATEQUISTAS UNIDOS!

1. http://catequesenanet.blogspot.com
2. http://adelinovieira.blogspot.com
3. http://aprendendoasercatequista.blogspot.com
4. http://blogjonathancruz.blogspot.com
5. http://catequesecaminhando.blogspot.com
6. http://catequesecasaforte.blogspot.com
7. http://catequese-chamadodedeus.blogspot.com
8. http://catequesedeeucaristia.blogspot.com
9. http://catequesedocoracaodejesus.blogspot.com
10. http://catequeseemrede.blogspot.com
11. http://catequeseinfantojuvenil.blogspot.com
12. http://catequesekids.blogspot.com
13. http://catequesensdasdores.blogspot.com/
14. http://catequeseparavida.blogspot.com
15. http://catequesisguadalupana.blogspot.com
16. http://catequistadecca.blogspot.com
17. http://catequistaroberto.blogspot.com
18. http://cocalnatividade.blogspot.com
19. http://deusnaminhafamilia.blogspot.com
20. http://elanycatequista.blogspot.com
21. http://ericamagropires.blogspot.com
22. http://escoladafecasaforte.blogspot.com
23. http://imaculadacintra.blogspot.com
24. http://jardimdafe.blogspot.com
25. http://catequesejesusinfantil.blogspot.com
26. http://oblgdanena.blogspot.com
27. http://paozinhodoceumaria.blogspot.com
28. http://pspedrogpuava.blogspot.com
29. http://reginamurbach-renascer.blogspot.com
30. http://roneicatequista.blogspot.com
31. http://semeandocatequese.blogspot.com/
32. http://sentidomaior.blogspot.com
33. http://silvanetygmdavid.blogspot.com
34. http://sorrindocomjesus.blogspot.com/
35. http://tiapaulalimeira.blogspot.com
36. http://rerossini.blogspot.com
37. http://querosercomunidade.blogspot.com
38. http://catequista.net/blog/blog2.php
39. http://pequenosfilhosdemaria.blogspot.com
40. http://www.cresceremcomunhao.blogspot.com
41. http://ninosdacatequese.blogspot.com/
42. http://wwwblogdaprecatequese.blogspot.com/
43. http://nospassosdejesusamor.blogspot.com/
44. http://catequesecomamor.blogspot.com/
45. http://catequistasemeandoamor.blogspot.com/
46. http://andersonribeiro18.blogspot.com
47. http://parajesuscomics.blogspot.com
48. http://ministerioparacriancasagudos.blogspot.com/
49. http://catequizandocomjesus.blogspot.com/
50. http://www.catequistaamadora.com.br/
51. http://viveereina.blogspot.com/
52. http://irenemiguel.blogspot.com
53. http://tiahelenanocoraodejesus.blogspot.com
54. http://www.catequeserafard.blogspot.com/
55. http://gisele-cristo.blogspot.com/
56. http://jardimdaboanova.blogspot.com/
57. http://catequistamarcia.blogspot.com
58. http://catequesesantaisabel.blogspot.com/
59. http://catequesefeira.blogspot.com/
60. http://catequeseevocacao.blogspot.com/
61. http://catebrincando.blogspot.com/
62. http://cantinhoreligioso-juliana.blogspot.com
63. http://moranguete-ilze.blogspot.com
64. http://catequizandonanet.blogspot.com
65. http://cateclicar.blogspot.com/
66. http://catequesejovem.blogspot.com/

Fonte
http://catequesenanet.blogspot.com/p/catequistas-unidos.html

sábado, 24 de dezembro de 2011

Jesus e Papai Noel



Papai Noel mora no Polo Norte...
Jesus, em todo lugar...
...Papai Noel anda num trenó...
Jesus voa no vento e anda sobre as águas.

Papai Noel vem somente uma vez ao ano.
Jesus está sempre presente.

Papai Noel enche nossas meias com presentes...
Jesus supre todas as nossas necessidades.

Papai Noel desce pela chaminé sem ser convidado...
Jesus fica na nossa porta, bate e entra em nosso coração.

Nós temos que esperar numa fila para ver Papai Noel...
Jesus já está próximo quando se menciona Seu nome.

Papai Noel nos deixa sentar no seu colo...
Jesus nos deixa descansar em Seus braços.

Papai Noel não sabe nosso nome,
tudo o que ele pode dizer é:
"Olá garotinho ou garotinha, qual é o seu nome"?...
Jesus sabia nosso nome antes mesmo de nós o sabermos.
Ele sabe não só o nosso nome,
Ele conhece nossa história e futuro e ainda
Conhece nosso coração e
quantos fios de cabelo temos em nossa cabeça.

Papai Noel tem uma barriga que balança como gelatina...
Jesus tem um coração cheio de amor, graças,
misericórdia e perdão.

Tudo que Papai Noel pode oferecer é:"HO, HO, HO"...
Jesus diz: "Deixe que eu resolvo seus problemas".

Os ajudantes de Papai Noel fazem brinquedos...
Jesus faz vida nova, consola nosso coração aflito,
repara lares destruídos e constrói esperanças.

Papai Noel pode fazer-nos um agrado mas...
Jesus nos dá alegria com Sua força.

Enquanto Papai Noel coloca presentes sob nossa árvore...
Jesus tornou-se nosso presente e
morreu na cruz por todos nós.

É claro que não há comparações.
Nós devemos lembrar "Quem é" o Natal, na verdade.

Devemos recolocar Cristo no Natal,
Jesus ainda é a razão da comemoração.

Jesus é o melhor,
Ele é melhor até mesmo que Papai Noel.

FELIZ NATAL!



Natal Festa do Amor de Deus



No Natal a vida renasce, reaviva, e se recupera. No presépio, o Menino, nos diz: “Estou aqui porque te amo”. É próprio do amor, sair de si, ir ao encontro, descer, abaixar-se. O amado e o amante tendem à união e conformação. Por amor, Deus assume nossa carne, nosso corpo e quer repousar no estábulo de nossos corações para que creiamos em seu amor. Só os amados amam, só os amados mudam, só os amados evangelizam.

O Menino Jesus, é uma caricia do amor do Pai, um afago de Deus para nós seus filhos. Quem ama faz presentes. Acolhamos o presente que o amor do Pai nos oferece: O Menino Jesus. Não podemos viver num “ateísmo afetivo”, numa crise de carência amorosa. Natal é colo, abraço, afago e beijo de Deus. É sorriso do amor. Um sorriso abre mil portas.

O mundo precisa ser sensibilizado e curado pela beleza e a riqueza do amor de Deus. Eis o Natal. Belém é uma prova surpreendente e arrebatadora do amor de Deus. Ele ama primeiro. Ele desce e vem. Ele se assemelha a nós em tudo. Ele está no Menino. Na estrebaria. Na periferia. Humilde e pobre. Deus ama primeiro e amará até o fim. Seu amor é fiel.

Como podemos chegar ao ponto de trocar o Menino pelo velho Papai Noel? Como abandonar a estrebaria e colocar o Menino nas vitrines do mercado? Como explicar que a festa da encarnação, nos leve a viver um cristianismo desencarnado? É Natal de Jesus. Ele é o centro, a estrela, o aniversariante. Natal com Jesus é o mínimo e o melhor que nos pode acontecer.

O amor de Deus continua nos atrair. Ele transforma erros em bênçãos, desgraças em graças, desencontros em encontros, feridas em felicidade. Os desertos se transformam em jardins, os carros armados em arados e tratores, os trajes de luto em vestes de festa. O Natal nos torna mais humanos, sensíveis, solidários, bondosos, alegres.

As pessoas amadas são confiantes, alegres, centradas, criativas. Onde há amor há vigor. O amor não cansa nem se cansa. Sem amor tudo é pesado, até um grão de areia. Deixemo-nos acariciar pelas criaturas, elas são sacramentos do amor do Pai. O Natal vem ajudar-nos a redescobrir que somos amados até ao ciúme, até a loucura da manjedoura e da cruz. Deixemo-nos amar, porque só os amados são centrados, equilibrados, felizes.

Jesus é o amor em pessoa. Ele é o amor de Deus. Seus gestos e atitudes são, “epifania do amor”. Ele veio ao mundo, ao submundo e ao imundo, para dizer: “Deus amou tanto o mundo que nos deu seu filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). Jesus é o melhor presente de natal. Vamos abrir as portas do coração ao salvador. È preciso crer no amor de Deus.

Natal, festa do amor de Deus, provoca glória nos céus, paz na terra, alegria universal porque nasceu o Salvador e seu reino não terá fim. É preciso permanecer no amor. Neste Natal vamos renascer. Voltemos ao primeiro amor. Nada nos separa do amor de Deus. Ele crê em nós, confia em nossa pessoa, investe em nós. O amor de Deus é incondicional, gratuito, sem medidas. Deixemo-nos amar. Aceitemos ser amados, aceitemos ser aceitos, pois Deus se agrada dos que “confiam esperando no seu amor”, diz o salmista.

O amor de Deus manifestado no Natal, é um amor que sai de si, se abaixa, dá o primeiro passo. Amor inefável, incondicional, imensurável. Um amor do coração de Deus. Antes de ser ferido na cruz, o coração de Deus é ferido de amor no Menino de Belém. Um dia apareceu a bondade de Deus e seu amor para com toda a humanidade. Este dia bendito é o dia do nascimento de Jesus. Quem ama faz mil loucuras pelo amado, dizia Santa Teresinha. “O Senhor, renovar-te-á no seu amor” (Sof. 3,17). Alegremo-nos pelo amor com que Deus nos ama em Jesus Cristo. No seu amor nos predestinou a ser filhos no Filho. Natal é a festa da nossa filiação divina, é festa do amor de Deus.

Por
Dom Orlando Brandes

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011



Todos os grandes eventos exigem uma preparação. Por isso, a Igreja instituiu, na Liturgia, um período que antecede o Natal: o Advento.
Mas, ao longo da história da Igreja, tomou diversas formas.

Receber uma visita é uma arte que uma dona de casa exercita com freqüência. E quando o visitante é ilustre, os preparativos são mais exigentes. Imagine o leitor que numa Missa de domingo seu pároco anunciasse a visita pastoral do bispo diocesano, acrescida de uma particularidade: um dos paroquianos seria escolhido à sorte para receber o prelado em sua casa, para almoçar, após a Missa.

Certamente, durante alguns dias, tudo no lar da família eleita se voltaria para a preparação de tão honrosa visita. A seleção do menu, para o almoço, o que melhorar na decoração do lar, que roupas usar nessa ocasião única. Na véspera, uma arrumação geral na casa seria de praxe, de modo a ficar tudo eximiamente ordenado, na expectativa do grande dia.

Essa preparação que normalmente se faz, na vida social, para receber um visitante de importância, também é conveniente fazer-se no campo sobrenatural. É o que ocorre, no ciclo litúrgico, em relação às grandes festividades, como por exemplo o Natal. A Santa Igreja, em sua sabedoria multissecular, instituiu um período de preparação, com a finalidade de compenetrar todas as almas cristãs da importância desse acontecimento e proporcionar-lhes os meios de se purificarem para celebrar essa solenidade dignamente.

Esse período é chamado de Advento.

Significado do termo
Advento - adventus, em latim - significa vinda, chegada.
É uma palavra de origem profana que designava a vinda anual da divindade pagã, ao templo, para visitar seus adoradores. Acreditava-se que o deus cuja estátua era ali cultuada permanecia em meio a eles durante a solenidade. Na linguagem corrente, significava também a primeira visita oficial de um personagem importante, ao assumir um alto cargo. Assim, umas moedas de Corinto perpetuam a lembrança do adventus augusti, e um cronista da época qualifica de adventus divi o dia da chegada do Imperador Constantino.

Nas obras cristãs dos primeiros tempos da Igreja, especialmente na Vulgata, adventus se transformou no termo clássico para designar a vinda de Cristo à terra, ou seja, a Encarnação, inaugurando a era messiânica e, depois, sua vinda gloriosa no fim dos tempos.

Surgimento do Advento cristão
Os primeiros traços da existência de um período de preparação para o Natal aparecem no século V, quando São Perpétuo, Bispo de Tours, estabeleceu um jejum de três dias, antes do nascimento do Senhor. É também do final desse século a "Quaresma de São Martinho", que consistia num jejum de 40 dias, começando no dia seguinte à festa de São Martinho.

São Gregório Magno (590- 604) foi o primeiro papa a redigir um ofício para o Advento, e o Sacramentário Gregoriano é o mais antigo em prover missas próprias para os domingos desse tempo litúrgico.

No século IX, a duração do Advento reduziu-se a quatro semanas, como se lê numa carta do Papa São Nicolau I (858-867) aos búlgaros. E no século XII o jejum havia sido já substituído por uma simples abstinência.

Apesar do caráter penitencial do jejum ou abstinência, a intenção dos papas, na alta Idade Média, era produzir nos fiéis uma grande expectativa pela vinda do Salvador, orientando-os para o seu retorno glorioso no fim dos tempos. Daí o fato de tantos mosaicos representarem vazio o trono do Cristo Pantocrator. O velho vocábulo pagão adventus se entende também no sentido bíblico e escatológico de "parusia".

O Advento nas Igrejas do Oriente
Nos diversos ritos orientais, o ciclo de preparação para o grande dia do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo formou-se com uma característica acentuadamente ascética, sem abranger toda a amplitude de espera messiânica que caracteriza o Advento na liturgia romana.

Na liturgia bizantina destaca-se, no domingo anterior ao Natal, a comemoração de todos os patriarcas, desde Adão até José, esposo da Santíssima Virgem Maria. No rito siríaco, as semanas que precedem o Natal chamam-se "semanas das anunciações". Elas evocam o anúncio feito a Zacarias, a Anunciação do Anjo a Maria, seguida da Visitação, o nascimento de João Batista e o anúncio a José.

O Advento na Igreja Latina
É na liturgia romana que o Advento toma o seu sentido mais amplo.

"Vigiai, pois, em todo o tempo e orai, a fim de que vos torneis dignos de escapar a todos estes males que hão de acontecer, e de vos apresentar de pé diante do Filho do Homem" (Lc 21, 36). É a recomendação do Salvador.

Como ficar de pé diante do Filho do Homem? A nós cabe corar de vergonha, como diz a Escritura. A Igreja assim nos convida à penitência e à conversão e nos coloca, no segundo domingo, diante da grandiosa figura de São João Batista, cuja mensagem ajuda a ressaltar o caráter penitencial do Advento.

Com a alegria de quem se sente perdoado, o terceiro domingo se inicia com a seguinte proclamação: "Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto". É o domingo Gaudete. Estando já próxima a chegada do Homem- Deus, a Igreja pede que "a bondade do Senhor seja conhecida de todos os homens". Os paramentos são cor-de-rosa.

No quarto domingo, Maria, a estrela da manhã, anuncia a chegada do verdadeiro Sol de Justiça, para iluminar todos os homens. Quem, melhor do que Ela, para nos conduzir a Jesus? A Santíssima Virgem, nossa doce advogada, reconcilia os pecadores com Deus, ameniza nossas dores e santifica nossas alegrias. É Maria a mais sublime preparação para o Natal.

Com esse tempo de preparação, quer a Igreja ensinar-nos que a vida neste vale de lágrimas é um imenso advento e, se vivermos bem, isto é, de acordo com a Lei de Deus, Jesus Cristo será nossa recompensa e nos reservará no Céu um belo lugar, como está escrito: "Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou, tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que O amam" (1Cor 2, 9).

Por
Padre Mauro Sérgio da Silva Izabel

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Advento - Tempo de Esperança!



O tempo do Advento é tempo de esperança porque Cristo é a nossa esperança (I Tm 1, 1); esperança na renovação de todas as coisas, na libertação das nossas misérias, pecados, fraquezas, na vida eterna, esperança que nos forma na paciência diante das dificuldades e tribulações da vida, diante das perseguições, etc.



O Advento também é tempo propício à conversão. Sem um retorno de todo o ser a Cristo, não há como viver a alegria e a esperança na expectativa da Sua vinda. É necessário que "preparemos o caminho do Senhor" nas nossas próprias vidas, lutando incessantemente contra o pecado, através de uma maior disposição para a oração e mergulho na Palavra.



No Advento, precisamos nos questionar e aprofundar a vivência da pobreza. Não pobreza econômica, mas principalmente aquela que leva a confiar, se abandonar e depender inteiramente de Deus e não dos bens terrenos. Pobreza que tem n'Ele a única riqueza, a única esperança e que conduz à verdadeira humildade, mansidão e posse do Reino.



O Advento deve ser celebrado com sobriedade e com discreta alegria. Não se canta o Glória, para que na festa do Natal, nos unamos aos anjos e entoemos este hino como algo novo, dando glória a Deus pela salvação que realiza no meio de nós. Pelo mesmo motivo, o diretório litúrgico da CNBB orienta que flores e instrumentos sejam usados com moderação, para que não seja antecipada a plena alegria do Natal de Jesus.



Os paramentos litúrgicos são de cor roxa, como sinal de recolhimento e conversão em preparação para a festa do Natal. A única exceção é o terceiro domingo do Advento, Domingo Gaudete ou da Alegria, cuja cor tradicionalmente usada é a rósea, em substituição ao roxo, para revelar a alegria da vinda do Salvador que está bem próxima. Também os altares são ornados com rosas cor-de-rosa. O nome de Domingo Gaudete refere-se à primeira palavra do intróito deste dia, que é tirado da segunda leitura que diz: "Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito, alegrai-vos, pois o Senhor está perto"(Fl 4, 4). Também é chamado "Domingo mediano", por marcar a metade do Tempo do Advento, tendo anologia com o quarto domingo do Tempo da Quaresma, chamado Laetare.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Casamento não é um instituição falida!

Ontem estava vendo o "Fantástico" e falava-se sobre o casamento, onde em outro País pode-se casar até por tempo determinado, e causou-me indignação mais uma vez quando falam desse assunto.

Falar de família nos dias de hoje pode ser um assunto complexo. Para muitos, é simples: "Vamos nos casar! Se não der certo, nos separamos."
Este tipo de pensamento me assuta muito, uma vez que todos que desejam se casar deveriam ver o casamento como uma instituição sagrada, e mais ainda a família que, no meu entendimento, é a base moral de todo ser humano.

Ora, Deus criou o homem e a mulher com o propósito de se completarem um ao outro: "E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele" (Gênesis 2,18). Entretanto, muitos hoje se deixam levar por sentimentos confusos e muitas vezes não muito bem definidos em seus relacionamentos.

O fato de você desejar passar toda a sua vida ao lado de uma outra pessoa, deve ser muito bem pensado, pois um casamento infeliz pode causar grande destruição na área sentimental do casal. Então porque muitas pessoas insistem em se casar, já pensando em separação, caso o casamento não seja o que elas esperam que seja?

Diz o Catecismo da Igreja Católica :

1601. - "O pato matrimonial, entre os batizados, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si a comunhão íntima de toda a vida, ordenado por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole, foi elevado por Cristo, como Senhor, à dignidade de sacramento.(Cân.l055 §1).

Ele está fundamentado nas relações complementares entre o homem e a mulher.

O Livro do Génesis diz que, na Criação, o homem estava incompleto :

- Não é conveniente que o homem esteja só; vou dar-lhe uma auxiliar semelhante a ele.(Gen.2,18).

Assim, o homem, no sentido genérico, ficou completo com a criação da mulher, uma auxiliar semelhante a ele.

A descrição da Criação refere que o homem não encontrou outra criatura para o auxiliar :

- Contudo, não encontrou para ele uma auxiliar adequada. (Gen.2,20).

O homem reconheceu na mulher a carne da sua carne :

- Esta é, realmente, osso dos meus ossos e carne da minha carne. Chamar-se-á mulher, visto ter sido tirada do homem. (Gen.2,23).

Depois veio a conclusão final que se impunha "à única e mesma carne" :

- Por esse motivo, o homem deixará o pai e mãe para se unir à sua mulher; e os dois serão uma só carne. (Gen.2,24).

O Matrimónio como instituição natural é considerado pelos teólogos cristãos como um bem essencial porque foi fundado pelo Criador no princípio da História da humanidade.

São Paulo ensina, também, que “o amor é paciente e prestativo, não se irrita nem guarda rancor. Tudo desculpa e tudo suporta”. Aos romanos recomendou perseverança na oração. O evangelista Mateus nos faz recordar o texto, já lido centenas de vezes nas cerimônias nupciais: “O matrimônio deve ser comparado àquela casa construída sobre a rocha, a qual resistiu à chuva e à fúria dos vendavais e não ruiu”.

O amor fonte de felicidade, e deve ser constantemente renovado e revigorado, desde a data do matrimônio até a data que a morte os separe. Não existe árvore que o não tenha balançado, nem casal que não tenha um dia brigado.

Para que uma família seja abençoada por Deus e seja “até que a morte nos separe”, os casais precisam entender que o casamento é como uma construção de uma casa. Precisa de um bom alicerce para não desmoronar nos vendavais da vida.

Família é um projeto de Deus. Ele foi o seu criador. E nós temos a obrigação de cooperarmos com Ele na sua preservação.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

DNJ/2011



Saudações à todas e todos!!!

Está Chegando o dia: Dia Nacional da Juventude - 2011 (DNJ 2011), que propõe o estudo e a celebração do tema “Juventude e Protagonismo Feminino” e o lema ”Jovens mulheres tecendo relações de vida” .

30/10/2011

Vamos lá juventude! Não vamos deixar a data passar em branco!!!

A sabedoria de uma criança na catequese

Certa vez, a catequista estava conversando com seus catequizandos, e fez uma pergunta pessoal para a turma:
-Qual é a parte da missa que você mais gosta?
Uma catequizanda levantou a mão, e disse:
-Eu gosto da hora da comunhão, porque agente pode tomar a eucaristia e se achegar mais a Deus.
-Muito bem - respondeu a catequista.
-Eu gosto da hora de dar “paz de Cristo”, porque agente pode se relacionar com as pessoas que estão junto com agente na missa. –disse um menino.
-Legal – disse a catequista.
Um outro garoto levantou a mão e respondeu:
-Eu prefiro a hora de ir embora!
A turma toda riu, e a catequista perguntou para o garoto:
-Mas, Por que você prefere a hora de ir embora?
O catequizando respondeu:
-Porque é nessa hora que eu posso sair e praticar o que eu aprendi.

Nossa Senhora Aparecida


Em outubro de 1717 passavam pela vila de Guaratinguetá, em São Paulo, o governador, o Conde Assumar e Dom Pedro de Almeida. Para recebê-los, os pescadores preparavam um evento onde apresentariam todos os peixes que pudessem pescar. Mas, por várias vezes, as redes jogadas ao rio voltaram vazias até que João Alves tirou das águas, para sua surpresa, a imagem de uma senhora sem cabeça. Ao jogar a rede novamente, surpresa maior: ele viu surgir a cabeça que faltava daquela imagem que fora recolhida. Depois disso, as redes que foram jogadas novamente voltaram repletas de peixes.

Aquela imagem, desde então, passou a ser visitada em reuniões semanais no vilarejo. Numa das vezes, as luzes que iluminavam a santa se apagaram de repente, para logo depois se acenderem sozinhas. Estava feito o primeiro milagre de Nossa Senhora.

De lá para cá, os devotos jamais se cansaram de sair em romaria, para chegar aos pés da santa. Nossa Senhora Aparecida, considerada a Padroeira do Brasil, tem sua festa maior celebrada no dia 12 de outubro, data que, desde 1988, é marcada como feriado nacional. Sua monumental basílica à beira do rio Paraíba, na cidade de Aparecida do Norte, foi consagrada pelo papa João Paulo 2º em 1980.

Primeiros milagres

Milagre das Velas
Estando a noite serena, repentinamente as duas velas que iluminavam a Santa se apagaram. Houve espanto entre os devotos, e Silvana da Rocha, querendo acendê-las novamente, nem tentou, pois elas acenderam por si mesmas. Este foi o primeiro milagre de Nossa Senhora.

Caem as correntes

Em meados de 1850, um escravo chamado Zacarias, preso por grossas correntes, ao passar pelo Santuário, pede ao feitor permissão para rezar à Nossa Senhora Aparecida. Recebendo autorização, o escravo se ajoelha e reza contrito. As correntes, milagrosamente, soltam-se de seus pulsos deixando Zacarias livre.

O Cavaleiro sem-fé

Um cavaleiro de Cuiabá, passando por Aparecida, ao se dirigir para Minas Gerais, viu a fé dos romeiros e começou a zombar, dizendo, que aquela fé era uma bobagem. Quis provar o que dizia, entrando a cavalo na igreja. Não conseguiu. A pata de seu cavalo se prendeu na pedra da escadaria da igreja ( Basílica Velha ), e o cavaleiro arrependido, entrou na igreja como devoto.

A Menina Cega

Mãe e filha caminhavam às margens do rio Paraíba, quando surpreendentemente a filha cega de nascença comenta surpresa com a mãe : "Mãe como é linda esta igreja" (Basílica Velha).

Menino no Rio

O Pai e o filho foram pescar, durante a pescaria a correnteza estava muito forte e por um descuido o menino caiu no rio e não sabia nadar, a correnteza o arrastava cada vez mais rápido e o pai desesperado pede a Nossa Senhora Aparecida para salvar o menino. Derrepente o corpo do menino para de ser arrastado, enquanto a forte correnteza continua e o pai salva o menino.

O Caçador

Um caçador estava voltado de sua caçada já sem munição, derrepente ele se deparou com uma enorme onça. Ele se viu encurralado e a onça estava prestes a atacar, então o caçador pede desesperado a Nossa Senhora Aparecida por sua vida, a onça vira e vai embora.

Oração de Nossa Senhora Aparecida

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida,
Mãe de Deus,
Rainha dos Anjos,
Advogada dos pecadores,
refúgio e consolação dos aflitos
e atribulados,
Virgem Santíssima,
cheia de poder e de bondade,
lançai sobre nós um olhar favorável,
para que sejamos socorridos por vós,
em todas as necessidades em que nos acharmos.
Lembrai-vos,
ó clementíssima Mãe Aparecida,
que nunca se ouviu dizer que algum daqueles
que têm a vós recorrido,
invocado vosso santíssimo nome
e implorado vossa singular proteção,
fosse por vós abandonado.
Animados com esta confiança,
a vós recorremos.
Tomamo-nos de hoje para sempre por nossa Mãe,
nossa protetora, consolação e guia,
esperança e luz na hora da morte.
Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos
e a vosso Santíssimo Filho, Jesus.
Preservai-nos de todos os perigos da alma e do corpo;
dirigi-nos em todos os negócios espirituais e temporais.
Livrai-nos da tentação do demônio,
para que, trilhando o caminho da virtude,
possamos um dia ver-vos e amar-vos na eterna glória,
por todos os séculos dos séculos.
Amém.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

OUTUBRO MISSIONÁRIO 2011



Viver "missionariamente" o mês de Outubro, como mês por excelência dedicado à Missão Universal da Igreja.


ORAÇÃO MISSIONÁRIA

Espírito Santo,
que desceste sobre os Apóstolos e os fizeste anunciadores do Evangelho:
derrama os teus dons sobre cada um de nós e torna-nos sensíveis aos apelos e às necessidades dos nossos irmãos;
desperta em muitos corações (crianças, jovens e adultos...) o ideal missionário;
dá força e coragem a todos quantos se entregam totalmente ao serviço da MISSÃO.
Amém!

OUTUBRO | mês missionário

As nações caminharão à sua luz [Ap 21, 24]
O objectivo da missão da Igreja é iluminar com a luz do Evangelho todos os povos no seu caminhar na história rumo a Deus, para que encontrem n’Ele a sua plena realização. Devemos sentir o anseio e a paixão de iluminar todos os povos, com a luz de Cristo, que resplandece no rosto da Igreja, para que todos se reúnam na única família humana, sob a amável paternidade de Deus.

[Bento XVI]

Oração para cada dia

1. Deus nosso Pai, dá-nos a graça de viver este mês missionário seguindo o exemplo de Santa Teresinha do Menino Jesus, anunciando o Evangelho e crescendo no amor à missão, através da oração e da partilha.

2. Deus nosso Pai, que na Tua admirável providência envias os santos Anjos para nos guardarem, escuta as nossas súplicas e dirige os nossos passos no caminho da salvação e da paz.

3. Deus nosso Pai, envia sobre nós o Teu Espírito para que, no seguimento do Congresso Missionário Nacional realizado o ano passado, sejamos capazes de rasgar horizontes novos de missão na Igreja portuguesa.

4. Deus nosso Pai, abençoa os bispos que hoje iniciam o Sínodo Africano para que, escutando a voz do Espírito e discernindo os sinais dos tempos, a Igreja seja uma voz profética promovendo a reconciliação, a justiça e a paz, criando unidade entre os povos do continente africano e anunciando o Evangelho.

5. Deus nosso Pai, louvado sejas pela beleza do céu e da terra, obra das Tuas mãos! Dá-nos a sabedoria para sabermos viver em harmonia com todos os seres da natureza e defender a integridade da Criação.

6. Deus nosso Pai, derrama a Tua bênção sobre o continente europeu para que saiba acolher no seu seio os imigrantes e os refugiados. E, assim, possa crescer no respeito pelos outros povos e culturas.

7. Deus nosso Pai, dá-nos a Tua graça para que, à semelhança de Maria de Nazaré, cada um de nós procure escutar a Palavra de Deus e anunciá-la aos outros com paixão e alegria.

8. Deus nosso Pai, abençoa os jovens e derrama o Teu amor nos seus corações para que eles coloquem a sua força, generosidade e entusiasmo ao serviço da paz, da justiça e da fraternidade entre os povos.

9. Deus nosso Pai, dá-nos coragem para imitar os santos mártires, seguindo o seu exemplo na renúncia à glória deste mundo e na entrega generosa da vida ao serviço do Evangelho.

10. Deus nosso Pai, que manifestaste em São Daniel Comboni um exemplo de amor a Ti e aos povos da África, faz que imitando o seu zelo missionário, nos consagremos à evangelização dos irmãos mais pobres.

11. Senhor Jesus, nosso amigo, abençoa as crianças das nossas paróquias e desperta nelas o amor pelas crianças dos outros continentes, sobretudo as que sofrem por causa da doença, da guerra e da fome.

12. Senhor Jesus, amigo dos pobres e dos pequenos, olha para o vasto continente americano e faz da Igreja uma Igreja missionária comprometida com as lutas do povo e sinal de esperança para os mais pobres.

13. Senhor Jesus, amigos dos doentes, derrama sobre eles a Tua bênção, para que, na fé e na esperança, sintam a Tua presença e possam oferecer o seu sofrimento pelo anúncio do Evangelho a todos os povos.

14. Senhor Jesus, neste Ano Sacerdotal, por intercessão de S. João Maria Vianey, ilumina todos os sacerdotes, para que possam compreender cada vez melhor a importância do seu papel e da sua missão na Igreja.

15. Senhor Jesus, pedimos por todos os membros da vida consagrada para que o testemunho de uma vida pobre, casta e obediente, e a entrega generosa à missão sejam sinal profético da presença do Reino neste momento da história que atravessamos.

16. Senhor Jesus ilumina os nossos corações para que sejamos construtores da paz, respeitando e acolhendo os outros como irmãos, e colaborando com eles na construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

17. Senhor Jesus, nosso amigo, ensina-nos a crescer na renúncia e no desprendimento dos bens materiais, a fim de sermos cada vez mais solidários com os que nada têm e, deste modo, testemunhar que a verdadeira alegria está mais em dar do que em receber.

18. Deus, nosso Pai, desça sobre nós a Tua bênção, para que a oração pela missão, a dedicação ao anúncio do Evangelho e o apoio à Igreja missionária continuem presentes, hoje e sempre, na vida de cada baptizado e de cada comunidade cristã.

19. Deus, nosso Pai, fonte da Missão, fazei que seguindo o exemplo do Apóstolo São Paulo, cada baptizado assuma a sua vocação missionária, anunciando Jesus Cristo com paixão e alegria.

20. Deus, nosso Pai, envia sobre nós o Teu Espírito para darmos testemunho da nossa fé em Cristo, vivermos com alegria a esperança do Reino e amarmos a todos com genuína caridade.

21. Deus, nosso Pai, envia o Teu Espírito sobre as Igrejas da Ásia para estarem sempre ao lado dos pobres, crescerem no diálogo com as diversas tradições religiosas e serem fermento de vida nova.

22. Deus, nosso Pai, fonte de toda a santidade, derrama sobre a Igreja a abundância da Tua bênção, para que, segundo o Teu desígnio de amor, surjam muitas vocações missionárias para o serviço do povo de Deus e o anúncio da Boa Nova do Reino.

23. Deus, nosso Pai, protege e conforta os doentes, os idosos e os que vivem sós, sobretudo os que mais sofrem. Que eles sintam a Tua presença consoladora através do apoio e solidariedade dos irmãos.

24. Deus, nosso Pai, pedimos-Te pelas nossas Igreja locais. Que elas descubram que também foram enviadas em missão e vivam sempre em dinamismo missionário, através da oração pelas missões, da cooperação e da partilha com as igrejas mais necessitadas.

25. Deus, nosso Pai, abençoa a Igreja da África. Que as orientações do Sínodo Africano mobilizem os cristãos para serem testemunhas da verdade e da justiça, defensores da paz e da liberdade, profetas e construtores de uma África mais justa e fraterna.

26. Deus, nosso Pai, pedimos-Te por todos os leigos missionários. Abençoa o seu trabalho e faz com que sejam fiéis à sua vocação, servindo a missão e dando testemunho de Jesus Cristo na vida familiar, profissional, social e eclesial.

27. Deus, nosso Pai, olha com bondade para os povos da Oceânia e faz da Tua Igreja uma Igreja missionária, acolhedora e dialogante, para construir pontes entre pessoas, grupos e nações, e dar a conhecer a todos a Boa Nova do Reino de Deus.

28. Deus, nosso Pai, fonte de misericórdia, que nos fizeste chegar ao conhecimento do Teu nome por meio dos bem-aventurados Apóstolos, concede-nos, por intercessão de São Simão e São Judas, que a Igreja cresça continuamente com a conversão dos povos ao Evangelho.

29. Deus, nosso Pai, abençoa as famílias cristãs para que sejam verdadeiras comunidades domésticas onde a fé possa ser vivida com entusiasmo, o amor cresça entre todos os seus membros e a abertura aos outros se concretize no acolhimento e na partilha.

30. Deus, nosso Pai, fonte do amor e da missão, dá-nos a coragem de partir ao encontro dos outros, saindo do nosso egoísmo e do nosso conforto. Dá-nos a graça de viver sempre em espírito de missão.

31. Deus, nosso Pai, concede-nos, a nós que celebrámos este mês das missões, a graça de permanecer fiéis à nossa vocação cristã, abertos à dimensão missionária da Igreja e prontos para dar testemunho de Jesus a todos aqueles que ainda o não conhecem.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Movimento comente mais



Quantas vezes você visita um blog, lê um post interessante, a mão coça para comentar,ou não, mas sai sem deixar nenhum comentário? Eu confesso que faço isso diversas vezes nos blogs em que acompanho.

Assim como eu, sei que muitas dos leitores fazem a mesma coisa e isso é um hábito ruim.

Tudo que um blogueiro quer, é um retorno sobre o que ele está escrevendo, mesmo que seja para crítica, sugestão ou só para trocar uma ideia.

Surgiu no Twitter, a algum tempo atrás e agora estão retomando, e graças a Deus alguns catequistas aderiram, a ideia de criar um movimento com a tag #movimentocomentemais e dessa tag surgiu este selo para identificar a campanha.

O movimento é para conscientizar todas nós (isso me inclui) da importância de deixar um comentário quando visitamos um blog, porque é através dos comentários que a interação acontece, as ideias surgem e com isso vamos melhorando o conteúdo, sempre!

Dedico esse selo a todos os catequistas que me segue!

Que Deus abençoe a todos!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Igreja no Brasil celebra o Mês da Bíblia 2011 com o estudo do Livro do Êxodo


“Desconhecer as Escrituras é desconhecer o Cristo”, com essa frase, de São Jerônimo, que a Igreja celebra, nesse mês de setembro, o Mês da Bíblia. Neste ano, o estudo proposto pela Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), será o Livro do Êxodo, capítulos 15,22 a 18,27, que é conhecido como o “Livro da Travessia”.

O Mês da Bíblia tem como tema “Travessia, passo a passo, o caminho se faz”, e o lema “Aproximai-vos do Senhor”.

O presidente da Comissão para a Animação Bíblico-catequética e arcebispo de Pelotas (RS), dom Jacinto Bergmann, escreveu uma mensagem para toda a comunidade cristã que celebra o Mês da Bíblia.

Dom Jacinto pede que todos procurem viver intensamente o esse mês, em todas as comunidades cristãs espalhadas pelo território nacional. “Que bom que temos um Subsídio elaborado pela Comissão para a Animação Bíblico-catequética, que, usado em nossos Grupos Bíblicos, nos ajudará a conhecer e interpretar, a comungar e orar, a evangelizar e proclamar a Palavra de Deus e assim caminharmos sempre mais para uma verdadeira animação bíblica da pastoral, formando entusiastas discípulos missionários de Jesus Cristo”, destacou.

O Subsídio

O Subsídio apresenta vários textos para estudo, reflexão, oração e prática para o Mês da Bíblia de 2011. Não pretende dizer tudo, mas apontar pistas para o trabalho individual e comunitário. Foi pensado como material de apoio, isto é, traz elementos informativos a serem desenvolvidos posteriormente e indica também roteiros práticos, que podem orientar grupos de reflexão e leitura orante sobre o assunto.

Leia abaixo a íntegra da mensagem de dom Jacinto Bergmann, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética da CNBB.

Mês da Bíblia

Mês de Setembro para a nossa Igreja no Brasil já é, por uma bonita tradição, sinônimo de MÊS DA BÍBLIA. O grande São Jerônimo, presbítero e doutor, cuja memória celebramos no final do mês de setembro, dia 30, nos motivou desde o início e motiva ainda hoje para a dedicação do mês de setembro inteiro para ser o da Bíblia. Sabemos da importância do trabalho bíblico de São Jerônimo realizando a tradução da Vulgata; e sua frase é emblemática: “Desconhecer as Escrituras é desconhecer o Cristo”.

Também já é uma bonita tradição, a CNBB, através da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, oferecer um tema para o Mês da Bíblia para o estudo, a reflexão, a oração e a vivência da Palavra de Deus. O tema pode girar ou em torno de trechos bíblicos, ou de um Livro bíblico, ou até de um conjunto de Livros bíblicos. A escolha do tema para o Mês da Bíblia deste ano de 2011, concentrou-se no trecho do Livro do Êxodo, capítulos 15,22 a 18,27, que é conhecido como o “Livro da Travessia”. É necessário olharmos as etapas da travessia desértica do Povo de Deus, saindo do Egito e buscando a Terra Prometida: as dificuldades enfrentadas pelo Povo de Deus, tanto os problemas da natureza, quanto os desafios oriundos pela convivência humana, criaram a necesidade de enraizar e vivenciar a fé, a esperança e o amor em Deus. Queremos aprender com o Povo de Deus a realizarmos a nossa travessia de discipulado e missão. Eis, pois, o tema tão propício para o Mês da Bíblia de 2011: “Travessia, passo a passo, o caminho se faz”. Mas, o fundamental em tudo isso, é estar próximo ao Senhor Deus. Assim, do capítulo 16, versículo 9, é tirado também o lema: “Aproximai-vos do Senhor”.

Vamos viver intensamente o Mês da Bíblia em todas as nossas comunidades cristãs espalhadas pelo território nacional. Que bom que temos um Subsídio elaborado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética, que, usado em nossos Grupos Bíblicos, nos ajudará a conhecer e interpretar, a comungar e orar, a evangelizar e proclamar a Palavra de Deus e assim caminharmos sempre mais para uma verdadeira ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORAL, formando entusiastas discípulos missionários de Jesus Cristo.

Dom Jacinto Bergmann,Arcebispo de Pelotas e Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética

De Belo Horizonte para o Brasil

Há mais de 30 anos, no Brasil, o mês de setembro é conhecido como o Mês da Bíblia. Segundo o Serviço de Animação Bíblica das Paulinas, a data tem sua origem na Arquidiocese de Belo Horizonte (MG) que, em 1971, solicitou às comunidades sugestões para a comemoração dos seus 50 anos. “A superiora das Paulinas, Ir. Eugênia Pandolfo, apresentou, então, a proposta de realizarmos um vasto e profundo movimento bíblico durante o mês de setembro, que atingisse todos os segmentos da Arquidiocese”.

Aprovada a proposta, formou-se a equipe de coordenação composta pelos padres Antônio Gonçalves e Paulo Lopes de Faria e pelas irmãs Eugênia Pandolfo e Neli Manfio. Com a colaboração do biblista Frei Carlos Mesters, foram elaborados folhetos para a divulgação e estudo da Bíblia com o desejo de despertar o gosto pela Palavra de Deus e iniciar uma leitura bíblica permanente. Com essa iniciativa, o grupo desejava levar o estudo da Bíblia às paróquias, comunidades, Vida Religiosa Consagrada, escolas, hospitais, penitenciárias, meios de comunicação.

Bíblia Gente
Bíblia, Deus caminhando com a gente. Esse foi o slogan adotado pelo Centro Bíblico de Belo Horizonte que lançou, em 1976, o folheto Bíblia Gente tornando o Mês da Bíblia uma realidade nacional. No ano anterior, o Regional Leste II da CNBB (Minas Gerais e Espírito Santo) já havia aderido à iniciativa de Belo Horizonte.
Com o empenho de Dom Albano Cavalin, Irmão José Israel Nery, Frei Bernardo Cansi, abriu-se uma nova etapa. O estudo da Bíblia não seria mais por temas, mas de um Livro, texto completo da Bíblia dando continuidade ao Tema da Campanha da Fraternidade. Assim, as comunidades tiveram a oportunidade de conhecer e aprender a ler os textos dentro do seu contexto.
A redescoberta da Sagrada Escritura e o seu uso constante por todas as Igrejas Cristãs no Brasil tem sido muito significativo para o processo e crescimento da experiência da fé das comunidades espalhadas pelo nosso imenso País. Nesse sentido, o Brasil desenvolveu um trabalho pioneiro na Igreja da América Latina, no que diz respeito à Animação bíblica das pastorais.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Mudança de Realidade

Ser catequista é realmente maravilhoso.
Devido compromissos de trabalho estou me mudando de Montes Claros para São Bras do Suaçui. Vão ser aproximadamente 3 anos. Dois extremos de MG: do Norte para o Sul. E graças a Deus meu apoio está sendo através de novas amizades que faço na nova paróquia que estarei participando e conhecendo novos catequistas. Rezem por mim e por minha familia! Que Deus abençoe!
Os atuais amigos, nem precisa falar, levo-os sempre no coração e com certeza continuaremos participando da vida um do outro. Não é um Adeus e sim um ate logo...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

MENSAGEM PARA O DIA DO CATEQUISTA


Quando Jesus se sentava entre os amigos e os discípulos e lhes falava de Deus...

Quando se esquecia das horas passadas felizes debaixo da sombra das árvores para revelar a Boa Nova a todos, quando abria seu coração para ensinar a rezar, a cuidar da vida, a ser bom, a buscar a verdade e a justiça, a chamar Deus de Pai, Paizinho, Jesus era catequista.

Quando Maria, lá na sua casa de Nazaré, colocava Jesus menino em seus joelhos e lhe falava de Deus e lhe explicava a história do povo de Israel, quando juntos rezavam os salmos, quando ela abria seu coração e louvava ao Senhor, cantando como os anjos do céu, Maria era catequista.

Quando Ana, mãe de Maria, chamava a filha junto de si e lhe falava das promessas de Deus, quando lhe lembrava as profecias que anunciavam o Messias, quando rezavam juntas para que o Salvador viesse logo, Ana era catequista.

E a história vai longe no tempo passado e irá mais longe no tempo futuro, porque ser catequista é uma alegria muito grande, porque é transmitir a preciosíssima herança da fé, o bem mais importante que uma família pode legar a seus filhos, que uma comunidade pode dar a seus irmãos. Porque ser catequista é aceitar um dom de pura doação e felicidade, visto que só é possível falar da abundância do coração. Porque ser catequista é assumir também o testemunho de vida, visto que a palavra ensinada precisa ter o eco dos gestos e dos sentimentos, e dos atos e do olhar. Porque ser catequista é ser sempre discípulo e um pouco mestre, sempre disponível e missionário.

Mas a maior alegria de ser catequista é viver se sentindo como que junto a Jesus, debaixo das árvores, ouvindo-o falar de Deus. Naquelas horas de encontro, de partilha e pura felicidade, parece que Maria nos toma em seu colo de Mãe e os anjos se aproximam para louvar ao Senhor. Porque a catequese pode ser como que um pedacinho de Paraíso, espaço e tempo de busca e encontro de Deus.

MENSAGEM PARA O DIA DO/A CATEQUISTA - CNBB

Querido e querida Catequista!

É a primeira vez que estou me comunicando com você catequista desde que assumi a presidência da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico‐Catequética. E faço‐o até comovido, sabendo o que significa cada catequista na nossa Igreja no Brasil. O que seria da nossa Igreja espalhada por todos os recantos do imenso território brasileiro sem os/as catequistas? Somos indispensáveis na educação da fé apostando no sentido pleno da vida.

Aliás, falando da fé, as atuais Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil – DGAE 2011‐2015, afirmam no número 37: “A fé é dom de Deus! ‘Não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou uma grande idéia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que dá novo horizonte à vida e, com isso, uma orientação decisiva’ (Bento XVI, Deus Caritas est, n. 1). Por sua vez, este encontro é mediado pela ação da Igreja, ação que se concretiza em cada tempo e lugar, de acordo com o jeito de ser de cada povo, de cada cultura. A descoberta do amor de Deus manifestado em Jesus Cristo, dom salvífico para toda a humanidade, não acontece sem a mediação dos outros (cf. Rm 10,14)”.

Ainda tendo presente as DGAE, temos duas Urgências na Ação Evangelizadora, que dizem respeito diretamente ao nosso agir bíblico‐catequético: temos o grande desafio de tornar sempre mais a nossa Igreja “casa da iniciação à vida cristã” e um “lugar de animação bíblica da vida e da pastoral”. Portanto, trabalho existe e a graça de Deus não falha!

PARABÉNS queridos/as catequistas pelo Dia do/a Catequista dentro do Mês Vocacional que estamos vivendo. A Igreja no Brasil reconhece com muito carinho essa vocação tão fundamental e apóia o “sim” dado diuturnamente a essa vocação por cada um e cada uma.

Um abraço fraterno, com a bênção do nosso Deus Trindade e a proteção de Maria, a educadora da fé por excelência,

Dom Jacinto Bergmann,
Arcebispo de Pelotas e
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral
para a Animação Bíblico‐catequética

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Convite

O Secretariado Arquidiocesano de Pastoral convida V.Sa. e família para a solenidade de Lançamento da REVISTA do CENTENÁRIO da Arquidiocese de Montes Claros, desta Igreja que nasce no sertão. Esta Revista “Ser Tão Igreja” contém 114 páginas de histórias memoráveis do nosso povo, da nossa gente, da criação e organização das nossas Comunidades...

Contamos com sua prestigiosa presença!
Data: 26 de agosto de 2011 (sexta-feira)
Local: Casa de Pastoral, Rua Natal, s/nº, Bairro Santo Antonio
Horário: 20:30 horas

D. José Alberto Moura
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros

Pe. Adilson Ramos de Melo
Coordenador Arquidiocesano de Pastoral

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Qual é a missão do catequista na Igreja?

Não há muito tempo, a catequese que se fazia, não apresentava grandes exigências à pessoa do catequista. Era suficiente que soubéssemos “pegar no catecismo” e “explicar” um pouco as respostas. Mas hoje, todos sabemos, que não sucede assim. Por isso, é bom, de vez em quando, pensar sobre a nossa missão de catequistas.

No mundo e na Igreja mudaram muitas coisas

Melhorou o conceito que a pessoa humana tem de si própria, avançou-se na compreensão da fé e da revelação de Deus, aperfeiçoaram-se os métodos pedagógicos, descobriu-se uma nova forma de evangelizar.

Tudo isto afectou a catequese. Mas esta catequese de que precisam as pessoas e a Igreja de hoje, exige dos catequistas uma maneira de ser e umas qualidades muito definidas.

“O catequista é um mediador que facilita a comunicação entre as pessoas e o mistério de Deus, dos sujeitos entre si e com a comunidade. Por isso, deve empenhar-se, a fim de que a sua visão cultural, a sua condição social e o seu estilo de vida não representem um obstáculo para o caminho da fé, criando antes as condições mais adequadas, para que a mensagem cristã seja procurada, acolhida e aprofundada” (DGC 28).

O catequista ideal não existe.

O catequista não nasce, faz-se. A catequese exige um bom catequista e é preciso não ter medo de ser exigente. Com a convicção que nos vamos formando pouco a pouco.

É importante recordar, para nos animar, o trabalho silencioso, humilde e generoso de tantos catequistas simples que vão transmitindo a sua fé aos outros.

“O catequista será, antes de mais, testemunha privilegiada da fé cristã, pois só a partir da própria experiência de fé poderá acompanhar e ajudar os outros na sua própria caminhada. Assim como Cristo ensinava com toda a sua vida, também o catequista tem de testemunhar com a vida, a mensagem que transmite. (…)

Catequista competente

Além de testemunha, o catequista é também aquele que sabe ensinar, aquele que pela sua preparação qualificada, é capaz de apresentar a riqueza da mensagem de Cristo como Boa Nova para as pessoas de hoje.
Por isso, deve conhecer o que ensina, ter um conhecimento global e actualizado da Mensagem Cristã; e precisa também de saber como ensinar, ser pedagogo. (…)
Finalmente, tendo em conta que a catequese deve iluminar a vida e levar a fé à vida, educando no compromisso e solidariedade com os problemas humanos, o catequista tem de ser sensível aos problemas reais das pes-soas, ter capacidade para ler os sinais dos tempos e estar comprometido na procura da sua solução” (Formação de Catequistas. Plano de acção, pp.55-57).
À luz dos documentos podemos fazer sobressair alguns traços característicos da missão do catequista:

-um enviado de Deus, através da Igreja, a ser portador da Boa Nova do Evangelho ao mundo de hoje;

- mestre que ensina (sabe) e educador que sabe ensinar, acompanhar e conduzir;

- testemunha que vive a fé que anuncia na própria vida, de modo que o seu exemplo dá credibilidade à mensagem que proclama.


Fonte: Edições Salesianas

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ser pai é...

Ser pai é mais do que somente cumprir um papel dentro da família e da sociedade.

Ser pai é acima de tudo ser o amigo de todas as horas... é estar sempre próximo, acessível, buscando sempre estar presente na vida do filho.

Ser pai é uma missão divina, que coloca o ser humano próximo de seu criador, pois assim como o Ser Supremo que nos guia, o pai deve ser o farol dentro da vida de seus filhos, encaminhando-os no difícil trilhar dessa existência.

Ser pai é aceitar as responsabilidades que ultrapassem o limite de suas forças, mas mesmo arquejado pelo peso que o sufoca se ergue empedernido e supera, sempre lutando e alcança a vitória.

Ser pai é além de educar estar constantemente ao lado de seus filhos, abdicando muitas vezes de responsabilidades para desfrutar um jogo de bola, brincar de carrinhos, empinar pipas, andar de mãos dadas...

Ser pai é vencer o cansaço de um dia de trabalho e com o coração em festa sentar com o filho para ver um desenho animado, uma prosinha maneira, ouví-lo falar de seus aprendizados de vida, tal como eu ouvi meu filho dizendo a muitos anos atrás, como: "Pai, a "tia" nos ensinou hoje que primeiro deve estar sempre a obrigação depois a diversão".

Ser pai é vivenciar os gatinhar de seu filho, recordar-se de suas primeiras palavras e muitas vezes gargalhar quanto a palavra dita lhe causa um sobressalto, como : "Pai vamos na putaria", quanto o seu desejo era dizer : " Pai vamos na portaria "... sorrisos.

Ah... O tempo passa os primeiros passinhos transformam-se em largas passadas e o garoto que um dia era um pirralho hoje lhe ultrapassa a altura.

Sim a missão é pesada e difícil, mas a recompensa virá no êxito do filho amado, no despertar e ver o homem que você criou.

IN MEMORIAM (SR. MANOEL / MEU PAI)

(Texto de Ailton Carlos)

Ser pai é mais do que parece...



Ser pai é mais do que gerar um filho, mais do que transmitir seus genes para a posteridade, antes é uma missão, a missão de ensinar seus filhos a serem melhores, e melhores que nós mesmos. Fazer um mundo melhor, mais humano, mais justo. Cada atitude é mais do que um simples falar, é uma lição de vida, de carinho e de amor.

Ser pai começa antes de gerarmos um filho, é uma vocação que nasce conosco, nas atitudes da vida inteira onde construímos o “ser pai”. O pai pode ser até quem não é pai, propriamente dito. Tem pai que é pai por criar os filhos dos outros ou cuidar de uma comunidade como um verdadeiro pai. Quem tem a vocação de pai, pode ser padre, pode não ser pai natural, mas ele será pai. Alguns vão adotar filhos, outros vão orientar outros futuros pais e quem não o fizer, vai negar a si mesmo. Quem tiver esta vocação e deixá-la crescer dentro de si, vai ser pai de uma maneira ou de outra.

Ser pai é um compromisso, que nasce na promessa do casamento, na promessa de educar um filho na fé. Como é bonito ver quem se deu o direito e assumiu o dever de ser pai. Compromisso que nunca mais o vai deixar, nem de dia e nem de noite, dele depende a vida de outro, um ser tão indefeso e dependente que ninguém pode fazer mais por ele.

Ser pai é dar muito valor à mãe dos seus filhos, não poderíamos ser pais sem elas. A mãe é tão importante que Deus quando enviou o seu Filho o entregou a uma doce mulher para gerá-lo.

Ser pai é lembrar de suas dores e seu esforço durante nove meses, do seu incondicional amor pelos filhos, seus constantes cuidados, aquela que não descansa dia e noite.

Ser pai é ser um exemplo, dar limites claros aos filhos, ser em tudo, mais em atitudes e gestos do que em palavras. Saber que se dizemos não para um filho é para educá-lo, para torná-lo melhor, é dizer um não com amor, e quando dizemos sim mostramos o caminho a seguir. Um sim descompromissado pode custar mais para nós em esforço e em sacrifício que um não.

Ser pai é ser a favor da vida, ter coragem e esperança acima do pessimismo e da cultura que nos empurra para nossas carreiras profissionais tornando-nos egoístas e considerando nossos filhos um estorvo. Ser pai é, sobretudo, deixar a vida brotar em nós. É ser absolutamente contra os abusos físicos e psicológicos. É deixar que a criação de Deus siga o seu ritmo.

Ser pai é estar presente, ser presente, custe o que custar: dinheiro, esforço, tempo. Não interessa como, precisamos participar da vida dos filhos, sem isto é impossível ser pai. Estar lá quando necessário é o mais importante para os filhos, é assim que eles sabem que nós os amamos. É não deixar que nada neste mundo possa nos separar.

Ser pai é melhor sendo fiel. Ser pai é melhor quando há família, harmonia, união e amor. Ser pai é melhor com amor antes, durante e depois. Ser pai é um presente de Deus, não tem nada igual, é a maior aventura da vida de um homem, o maior empreendimento, a maior responsabilidade e a maior alegria.

Deixemos que nossos filhos espelhem-se em nossas histórias, experiências, acertos e equívocos, mantendo o compromisso que, no fundo, todo pai deseja: Que eles cresçam melhores que nós.

HOMENAGEM AOS PAIS / CATEQUESE

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

2ª Festa do Bom Jesus



VENHA E TRAGA SUA FAMILIA!

Agosto, mes vocacional.

Vale a pena recordar o que celebramos no mês de agosto:

No primeiro domingo destacamos o dia do Padre, a motivaçao é a festa de São João Maria Vianney.

No segundo domingo celebramos o dia dos Pais, recordamos, então o chamado a gerar a vida, a continuar com a obra criadora de Deus. Ser Pai e ser Mãe, constituir familia, assumir um estado de vida na Igreja.

Motivados pela festa da Assunção de Maria, modelo de todos aqueles que dizem SIM, celebramos no terceiro domingo a vocação religiosa, masculina e feminina.

No quarto domingo recordamos todos os ministerios leigos e em especial a vocação dos catequistas.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

10.000 AGRADECIMENTOS





“Obrigado a todos os amigos e amigas que têm nos proporcionado essa interação maravilhosa. Já ultrapassamos a importante marca de dez mil acessos ao NOSSO blog.”


Agradecimento também, todo especial, aos meus amigos que estão me seguindo e aos que tem deixando comentários e recadinhos!


Peço desculpas por estar postando pouco nas últimas semanas, estou resolvendo alguns problemas particulares que me deixaram um pouco de fora, mas não deixei de ler todos os comentários.

Logo esse Blog estará passando por reformulações, (alguns catequistas amigos estão me dando algumas dicas) para que eu possa estruturar um espaço ainda mais acolhedor para todos.

Se você tem alguma idéia de algo que possa ser implementado aqui, deixe seu comentário que será muito bem vindo.

Mais uma vez OBRIGADO!

Que Deus abençoe a todos e especial aos catequista!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

CF 2013 - ANO DA JUVENTUDE

Olha aí juventude,Uma ótima notícia!

Fraternidade e Juventude. Este será o tema da Campanha da Fraternidade de 2013. A escolha foi feita no dia 15/06/2011, pelo Conselho Episcopal Pastoral, que estava reunido desde o dia 14 na sede da CNBB. O tema foi proposto pelo Setor Juventude da CNBB, que recolheu cerca de 300 mil assinaturas junto aos jovens do Brasil. O lema será escolhido na próxima reunião do Consep.

O Setor da Mobilidade Humana da CNBB apresentou e defendeu o tema do tráfico de pessoa humana e o trabalho escravo. Outros temas foram apresentados, mas não receberam votos.

Esta será a segunda Campanha da Fraternidade sobre a Juventude.
A primeira foi realizada em 1992 com o lema “Juventude, caminho aberto”.

A escolha dos temas da Campanha da Fraternidade é feita com antecedência de dois anos.

E como disse Pe. Gisley: "Vamos juntos gritar, girar o mungo! Chega de violência e extermínio de jovens"!

Está na hora de arregaçarmos as mangas e continuar o trabalho pela vida dos nossos jovens.

Confira:

http://www.cnbb.org.br/site/campanhas/fraternidade/6864-juventude-sera-o-tema-da-campanha-da-fraternidade-de-2013

Qual a origem da festa de Corpus Christi?



Todos os católicos reconhecem o valor da Eucaristia. Podemos encontrar vários testemunhos da crença da real presença de Jesus no pão e vinho consagrados na missa desde os primórdios da Igreja.

Mas, certa vez, no século VIII, na freguesia de Lanciano (Itália), um dos monges de São Basílio foi tomado de grande descrença e duvidou da presença de Cristo na Eucaristia. Para seu espanto, e para benefício de toda a humanidade, na mesma hora a Hóstia consagrada transformou-se em carne e o Vinho consagrado transformou-se em sangue. Esse milagre tornou-se objeto de muitas pesquisas e estudos nos séculos seguintes, mas o estudo mais sério foi feito em nossa era, entre 1970/71 e revelou ao mundo resultados impressionantes:

•A Carne e o Sangue continuam frescos e incorruptos, como se tivessem sido recolhidos no presente dia, apesar dos doze séculos transcorridos.
•O Sangue encontra-se coagulado externamente em cinco partes; internamente o sangue continua líquido.
•Cada porção coagulada de sangue possui tamanhos diferentes, mas todas possuem exatamente o mesmo peso, não importando se pesadas juntas, combinadas ou separadas.
•São Carne e Sangue humanos, ambos do grupo sanguíneo AB, raro na população do mundo, mas característico de 95% dos judeus.
•Todas as células e glóbulos continuam vivos.
•A carne pertence ao miocárdio, que se encontra no coração (e o coração sempre foi símbolo de amor!).


Mesmo com esse milagre, entre os séculos IX e XIII surgiram grandes controvérsias sobre a presença real de Cristo na Eucaristia; alguns afirmavam que a ceia se tratava apenas de um memorial que simbolizava a presença de Cristo. Foi somente em junho de 1246 que a festa de Corpus Christi foi instituída, após vários apelos de Santa Juliana que tinha visões que solicitavam a instituição de uma festa em honra ao Santíssimo Sacramento. Em outubro de 1264 o papa Urbano IV estendeu a festa para toda a Igreja. Nessa festa, o maior dos sacramentos deixados à Igreja mostra a sua realidade: a Redenção.

A Eucaristia é o memorial sempre novo e sempre vivo dos sofrimentos de Jesus por nós. Mesmo separando seu Corpo e seu Sangue, Jesus se conserva por inteiro em cada uma das espécies. É pela Eucaristia, especialmente pelo Pão, sinal do alimento que fortifica a alma, que tomamos parte na vida divina, nos unindo a Jesus e, por Ele, ao Pai, no amor do Espírito Santo. Essa antecipação da vida divina aqui na terra mostra-nos claramente a vida que receberemos no Céu, quando nos for apresentado, sem véus, o banquete da eternidade.

O centro da missa será sempre a Eucaristia e, por ela, o melhor e o mais eficaz meio de participação no divino ofício. Aumentando a nossa devoção ao Corpo e Sangue de Jesus, como ele próprio estabeleceu, alcançaremos mais facilmente os frutos da Redenção!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O MISTÉRIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE

INTRODUÇÃO:

O segredo divino mais importante da Fé que Jesus Cristo nos revelou é o MISTÉRIO DA SANTÍSSIMA TRINDADE. Jesus falou de seu Pai, que é Deus; do Espírito Santo, que também é Deus; e afirmou que ELE E O PAI SÃO UMA MESMA COISA (João 10,30), porque é o Filho de Deus. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são um único Deus -não três deuses - porque tem a mesma natureza divina, ainda que sendo três Pessoas realmente distintas. Que Deus é UM em essência e TRINO em pessoas é a revelação de sua vida íntima, maior e mais profundo de todos os mistérios; além de ser o mistério fundamental de nossa fé e de nossa vida cristã. Temos de procurar conhece-Lo e vive-Lo! O Credo, ou Símbolo é a explicação do mistério trinitário: o que Deus é e o que fez por suas criaturas ao cria-las, ao redimi-las e ao santifica-las.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. A Trindade, mistério de um só Deus e três Pessoas realmente distintas.

Nunca poderemos compreender os MISTÉRIOS, porque nós somos limitados e eles nos superam; sem dúvida, temos de tentar conhece-los cada vez melhor, para que nossa fé seja firme e operativa. O Mistério da Santíssima Trindade consiste em que, em Deus há uma ÚNICA ESSÊNCIA e TRES PESSOAS DISTINTAS: Pai, Filho e Espírito Santo, cada uma das quais é Deus, sem ser três deuses, mas um único e só Deus. Podemos comparar este Mistério com o sol: o sol está no céu e produz luz e calor; a luz e o calor não são distintos do sol. A Trindade é algo parecido: o Filho e o Espírito Santo são iguais em natureza ao Pai, mas são um só Deus. O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. Três pessoas e um único Deus.

2. A salvação, obra da Trindade.

Todas as coisas criadas foram feitas por Deus, Uno e Trino. Deus criou o mundo, ainda que a criação seja atribuída ao Pai; Deus realizou a Redenção, ainda que só a segunda Pessoa - O Filho - se fez homem e morreu na cruz; Deus nos santifica, ainda que a santificação seja atribuída ao Espírito Santo. Assim, pois, quando agradecemos a Deus tudo o que fez por nós e em nós, temos de agradecer a Deus Pai, a Deus Filho e a Deus Espírito Santo.

3. Habitação da Trindade na alma em estado de graça.

Ainda que não seja fácil de explicar, é esta uma verdade que nos enche de ale gria o saber que o homem que vive em estado de graça (sem pecado mortal) é TEMPLO VIVO DA SANTÍSSIMA TRINDADE BEATÍSSIMA (João 14,23). Desde o dia de nosso Batismo, se não recusamos a Deus através do pecado mortal, vive em nossa alma Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.Temos a Deus dentro de nós para nos santificar, para nos ajudar, para estar conosco, porque nos ama. Podemos falar com a Trindade Beatíssima, sabendo que nos escuta e atende nossas súplicas. Sabemos disto pela Fé e, ainda que não O vejamos, nem O sintamos, é esta a verdade. Quando estamos na Graça de Deus, SOMOS TEMPLO DE DEUS!

4. No céu, "veremos" a Santíssima Trindade.

Aqui na terra sabemos que Deus está em nossa alma em estado de graça e que a vida cristã é uma luta constante para evitar o pecado. Se formos fiéis e nos esforçamos por amar a Deus cada vez mais, Ele nos concederá a maior coisa que poderíamos desejar: vê-Lo face a face, tal como Ele é. O grande premio do céu consiste em ver a Deus: contemplar, louvar, amar e gozar por toda a eternidade da Trindade Beatíssima. Toda a grandeza, toda a beleza, toda a bondade de Deus se volta sobre estas pobres criaturas que somos cada um de nós. No monte Sinai, Moisés pediu para ver o rosto de Deus, e o Senhor lhe respondeu que nenhum homem pode vê-Lo sem morrer. Não obstante, no céu, a alma terá a possibilidade de VER o que Moisés quis ver na terra: a majestade de Deus.

5. Temos de louvar a Santíssima Trindade.

Pela fé, damo-nos conta de que ser cristãos é algo maravilhoso. Deus nos ama de uma maneira incrível: nos criou por amor, nos remiu de nossos pecados morrendo por nós, vive em nossa alma em estado de graça e nos preparou - se somos fiéis - um céu eterno. Nos deixou a Igreja e os Sacramentos para que possamos facilmente saber o que temos de fazer e viver sempre como bons cristãos, sendo cada vez mais santos. Temos de corresponder a tanto amor, e a vida cristã precisa ser um constante louvor à Trindade Santa. Professamos nossa fé na Santíssima Trindade quando fazemos o sinal da cruz ou quando nos persignamos dizendo: "EM NOME DO PAI + E DO FILHO+ E DO ESPÍRITO + SANTO"; quando rezamos o GLÓRIA ou o CREDO na Santa Missa, e ao final da Oração Eucarística. Temos de procurar rezar estas orações e louvores à Trindade com fé viva e consciente, de modo que toda a nossa vida seja um constante louvor a Deus Pai, Deus Filho e Deus espírito Santo.

6. Propósitos de vida cristã.

APRENDER O CREDO E RECITA-LO COM DEVOÇÃO
CONSIDERAR NA ORAÇÃO, QUE A SANTÍSSIMA TRINDADE - DEUS MESMO - ESTÁ NA ALMA EM ESTADO DE GRAÇA, PORTANTO, VIVER EM ESTADO DE GRAÇA (SEM PECADO MORTAL) É A ÚNICA COISA VERDADEIRAMENTE IMPORTANTE NESTA VIDA.

Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

terça-feira, 14 de junho de 2011

OS DEZ MANDAMENTOS DA INTERNET


Achei legalzinho e compartilho com vocês! (deconheço o autor)

1º Mandamento: “Amar a Deus sobre todas as coisas”: clique em ferramentas, opções e comece colocando algum site católico como página inicial do sei browser.


2º Mandamento: “Não tomar Seu Santo Nome em vão”: Se você não é autorizado pela Igreja, não fale como se possuísse a verdade eterna. Não poste em seu BLOG a SUA verdade como se fosse a verdade oficial da Igreja. Pode confundir os irmãos.


3º Mandamento: “Guardar os domingos e festas”: Saia do quarto, da frente deste computador e vá na missa, no grupo de oração, na reunião de pastoral movimento. A vida não se resume ao virtual. Viva a vida real.


4º Mandamento: “Honrar pai e mãe”: Será que lá na sala não estão pessoas que esperam sua presença. Coragem: clique em iniciar, desligar o computador (não coloque apenas em modo de hibernação, pensando em voltar logo). Dê atenção aos seus pais, mesmo que eles não entendam nada de computador e não tenham a mínima noção do que é BLOG, CHAT ou TWITTER.


5º Mandamento: “Não matar”: fuja dos joguinhos eletrônicos que fazem da morte e da violência um divertimento macabro.


6º Mandamento: “Não pecar contra a castidade”: Nunca visite sites pornográficos nem mantenha conversas dúbias em chats. Se já fez isso, formate sua máquina e comece do zero. Por Hoje Não. Outra coisa: formate seu coração com uma boa confissão.


7º Mandamento: “Não furtar”: não roube senhas, não fique bisbilhotando a vida dos outros, não seja um rato de computador que utiliza o conhecimento para o mal. Não procure comprar coisas sem pagar ou tirar vantagens virtuais.


8º Mandamento: “Não levantar falso testemunho”: Não minta. A mentira virtual é tão pecaminosa quanto a mentira real. Não brinque de ser grande, loiro de olhos azuis se você é pequeno, e tem olhos e cabelos castanhos. Diga a verdade. Seja autêntico na NET. Vale a pena. Também não fique arquivando imagens e vídeos de outras pessoas para utilizar em proveito próprio com segundas intenções.


9º Mandamento: “Não desejar a mulher do próximo”: Traição virtual é um dos grandes pecados de hoje. Fuja desta brincadeira. Muitas famílias estão sendo destruídas assim. Não é porque a pessoas está distante e é desconhecida que a coisa é menos grave. É pecado mortal, pois mata famílias. É adultério.


10º Mandamento: “Não cobiçar as coisas alheias”: Vemos tantas coisas na Net. Nem sempre temos tudo aquilo. Cuidado com o consumismo: mais um pendrive, mais um HD, outro micro, outro monitor… e assim vai. Tenha um micro bom. Mas não entre no círculo vicioso de querer trocar de micro a cada seis meses.

sábado, 11 de junho de 2011

Pentecostes, união dos Cristãos






A festa de Pentecostes, celebra a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos, reunidos em Jerusalém, 50 dias após a Páscoa. Estavam presentes os Apóstolos, a Mãe de Jesus, e um bom número de outros, conforme o livro dos Atos. A manifestação extraordinária do Espírito Santo era esperada, mesmo porque sua ordinária presença é uma realidade para aqueles que crêem. Na ressurreição, o Senhor já o comunicara: Recebei o Espírito Santo; àqueles a quem perdoardes os pecados serão perdoados, àqueles a quem não perdoardes serão retidos. (Jo20,19-23)

O Espírito Santo é força de unificação como expressa Paulo aos Coríntios: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. (ICor.12,3). Após Pentecostes, os Apóstolos saem anunciando Jesus Cristo como Filho de Deus feito homem que fora assassinado pelo poder constituído, ressuscitara, estava vivo e não podia mais morrer. A informação bíblica diz que a pregação era tão convincente que cada um, mesmo estrangeiro, os entedia em sua própria língua.

É a linguagem unificadora do amor autêntico, aquele que vem de Deus. Com o Pentecostes, nasce propriamente a Igreja fundada por Cristo. O Senhor já havia previsto isto aos discípulos, quando, ressuscitado, sentou-se com eles à mesa mais uma vez e disse: recebereis o Espírito Santo, que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judéia e na Samaria e até as extremidades da terra. (At.1,8)

Hoje, após dois mil anos, contudo, os cristãos experimentam desunião, organizados em várias igrejas e seitas. A realidade provoca preocupação a todos. Porém, há um consolo.

Atualmente, os esforços em busca da unidade perdida são cada vez maiores, o diálogo entre os grupos abertos à compreensão é um fato. A semana que precede a festa de Pentecostes é celebrada com orações pela unificação dos cristãos, liturgias são realizadas em igrejas de diferentes tradições por católicos e não católicos.

O Conselho Mundial das Igrejas Cristãs e os Conselhos Nacionais, fundados por não católicos, conta com a participação efetiva da Igreja Católica e de várias outras Igrejas, num clima de serena fraternidade.

A força do Espírito também garante aos cristãos que as adversidades provocadas pela iniqüidade não serão capazes de ameaçar a Igreja e muito menos a pessoa de Cristo, Filho de Deus, vencedor da morte. Ele já havia dito ao chefe dos Apóstolos: Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Uma pessoa sem o Espírito Santo é como um filme sem cor e sem som, sem legendas. Difícil de ser entendido naquilo que ele quer ser, significar e transmitir. A presença do Divino Espírito Santo leva a criatura humana à plenitude da realização de toda sua potencialidade enquanto imagem e semelhança de Deus. Mesmo em suas limitações físicas (doença, finanças, incompreensões) a pessoa sente uma alegria íntima de viver, de existir, de ser para os outros, de poder transformar, para melhor, o mundo humano ao seu redor.

Dom João Bosco (Bispo de Patos de Minas)



O Espírito Santo é representado de diferentes formas:

Água:
O simbolismo da água é significativo da ação do Espírito Santo no Batismo, já que a água se transforma em sinal sacramental do novo nascimento.

Unção: Simboliza a força. A unção com o óleo é sinônimo do Espírito Santo. No sacramento da Confirmação o confirmando é ungido para prepará-lo para ser testemunha de Cristo.

Fogo: Simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito.

Nuvem e Luz: Símbolos inseparáveis nas manifestações do Espírito Santo. Assim desce sobre a Virgem Maria para "cobri-la com sua sombra" . No monte Tabor, na Transfiguração, no dia da Ascensão; aparece uma sombra e uma nuvem.

Selo: é um símbolo próximo ao da unção. Indica o caráter indelével da unção do Espírito nos sacramentos e falam da consagração do cristão.

A Mão: Mediante a imposição das mãos os Apóstolos e agora os Bispos, transmitem o "Dom do Espírito".

A Pomba: No Batismo de Jesus, o Espírito Santo aparece em forma de pomba e posa sobre Ele.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Catequistas Unidos

Recebi esse Selinho da Tia Paula http://tiapaulalimeira.blogspot.com/

Participe!
UNIDOS SOMOS BEM MAIS FORTES!

Clique no selinho e veja as regras.





Quase todos blogs catequético que conheço já estão seguindo!
Mas, quero oferecer este selinho para os seguintes blogs que ainda não estão:


http://catequese1.blogspot.com/



http://pequenogigante.blogspot.com/



http://junior-catequesecrisma.blogspot.com/



http://elanycatequista.blogspot.com/



http://semente-nf.blogspot.com/



http://catequesemacao.blogspot.com/



sexta-feira, 3 de junho de 2011

Os santos do mês de junho


Junho é mês de festa junina e também de três santos queridos na devoção popular: Antônio, João e Pedro.

Santo Antonio de Pádua nasceu em Lisboa no ano de 1195 e foi batizado com o nome de Fernando. Entrou para a Ordem dos Agostinianos em 1209 e aí permanece até encontrar um grupo de monges franciscanos que estavam indo pregar o evangelho aos sarracenos. O impacto desse encontro marcou sua vida. Ele integra-se a ordem franciscana e adota o nome de Antonio em homenagem à Santo Antão.

Em uma viagem a Marrocos, Antonio sofre uma enfermidade que o faz retornar à Portugal. Passando pela Itália, desembarca na Sicília e indo até Assis se encontra pela primeira vez com São Francisco.

Em 1222 é chamado a falar de "improviso" numa celebração de ordenação e mostra eloqüência e sabedoria extraordinárias. Revela-se então seu carisma de pregador itinerante que marcará a trajetória de sua vida. Lecionou nas escolas de Bolonha, de Tolosa e de Mompinher.

Santo Antonio morreu aos 36 anos, em 1231 no dia 13 de junho e em menos de um ano, o papa Gregório IX o declara santo. Em 1946, Pio XII dá-lhe o título de "Doutor Evangélico".

Na devoção popular, Santo Antonio é considerado o "santo casamenteiro" e protetor dos pobres. Muito querido pelo povo, na missa do dia 13 de junho, os fiéis aguardam a distribuição do pão bento, que como reza a tradição, deverá ser colocado junto aos mantimentos para que haja fartura no lar.

São João, o Batista, filho de Zacarias e Isabel, é considerado o precursor de Jesus Cristo. Personagem bíblico, foi João quem batizou Jesus às margens do Jordão. É considerado o "santo festeiro" e a comemoração faz-se no dia seu nascimento, dia 24 de junho. São João é particularmente festejado no Nordeste com muito forró, comidas e danças. É o santo protetor dos casados e enfermos.

Uma tradição bastante comum no dia de São João é a lavagem da imagem do santo. A lavagem é feita na véspera, dia 23, em um rio ou lagoa. A madrinha recebe a imagem lavada pelo padrinho e a seca com um pano de linho. Reza a lenda que se alguma pessoa olhar a imagem de São João refletida na água iluminada pelas velas da procissão, não estará vivo no ano seguinte.

São Pedro foi discípulo de Jesus e é considerado o primeiro papa pela Igreja Católica. Seu nome original era Simão, tinha a profissão de pescador e por isso é considerado o protetor daqueles que trabalham no mar. Em vários locais se realiza uma procissão marítima para o santo, em Ubatuba, Rio São Francisco, Ceará, especialmente no Nordeste. Em Niterói, o principal mercado de comercialização de peixe leva o nome de São Pedro. A comemoração é no dia 29 e na devoção popular costuma-se dizer que São Pedro guarda a entrada do céu. O apóstolo exerceu seu ministério e foi martirizado em Roma, provavelmente no ano de 64 d.C. na época de Nero. A tradição popular também diz que São Pedro é santo de "trazer" chuva.

BRINCADEIRAS JUNINAS

Junho começou e com ele vêm as festas juninas (tem esse nome porque acontecem neste mês). É uma bela comemoração, com fogueiras, comidas típicas, quadrilhas, jogos, brincadeiras, bandeirinhas e, antigamente, tinha também balões, hoje proibido porque podem causar incêndios.

Para sua festa ficar melhor ainda, leia as dicas de brincadeiras e divirta-se com as crianças:

BOLICHE: Os pinos são feitos com latas vazias de refrigerante, de batatas fritas,ou garrafas pet encapadas com papel colorido. Faz-se uma linha de arremesso a cerca de 2 metros de distância. A bola deve arrastar no chão até atingir os pinos. Cada participante pode fazer três tentativas. O coordenador anota o número de pinos derrubados em cada tentativa. Vence quem derrubar mais pinos.
PAU-DE-SEBO: é uma das brincadeiras típica das festas de São Pedro, muito difundida principalmente no sudeste (no nordeste também, no entanto sua prática é mais comum no natal). Trata-se de um mastro de madeira com aproximadamente cinco metros (não confundir com o mastro dos santos) untado de sebo de boi ou cera. A brincadeira consiste em subir o pau-de-sebo na tentativa de alcançar o premio que se encontra no topo do mastro. O premio normalmente utilizado é dinheiro.
CADEIA: Escolhe-se um local isolado ou cercado por cadeiras, para ser a cadeia. Escolhe-se um delegado e seus ajudantes. Eles vão correr atrás dos outroe e pegá-los. Leva o preso até a cadeia e, para ser solto ele tem de pagar uma prenda, que pode ser: cantar, recitar, dançar, fazer uma imitação, etc. Se houver um palco com microfone, a cadeia pode ser colocada num canto dele. E a prenda, ao ser paga diante do microfone, será vista por todos da festa.
CORRIDA DE MILHO: Traçam-se duas linhas paralelas e distantes. Atrás de uma das linhas, coloca-se uma bacia com grãos de milho. Atrás da outra linha, os participantes são reunidos aos pares - um deles segura uma colher e o outro um copo descartável. Dado o sinal, os participantes com a colher correm até a bacia. Enchem a colher com milho e voltam para a linha de largada. Lá chegando, colocam o milho no copo que seu companheiro segura. Vence a dupla que primeiro encher o copinho com milho.
CORRIDA DO OVO NA COLHER: Marca-se um local de partida e outro de chegada. Cada corredor deve segurar com uma das mãos (ou a boca) uma colher com um ovo cozido em cima. Vence quem chegar primeiro ao local de chegada, sem derrubar o ovo. Se quiser variar, substitua o ovo cozido por um limão.
CORRIDA DO SACI OU DOS SAPATOS: Traçam-se duas linhas paralelas e distantes. Na primeira linha, os corredores tiram os sapatos(de preferência os sapatos devem ser parecidos), que são levados para trás da outra linha, onde são misturados. Dado o sinal, eles devem sair pulando com o pé esquerdo até a outra linha. Depois de calçar seus sapatos, devem retornar, pulando com o pé direito. Vence quem chegar primeiro ao local de chegada, estando calçado de modo correto.
CORRIDA DE SACO: Marca-se um local de partida e outro de chegada. Cada corredor deve colocar as pernas dentro de um saco grande de pano e segurá-lo com ambas as mãos na altura da cintura. Dado o sinal, saem pulando com os dois pés juntos. Vence quem chegar primeiro ao local de chegada.
CORRIDA DE TRÊS PÉS: Marca-se um local de partida e outro de chegada. Os participantes são reunidos em duplas. Com uma fita, o tornozelo direito de um é amarrado ao tornozelo esquerdo de seu par. Dado o sinal, as duplas participantes devem correr até a chegada. Vence a dupla que chegar primeiro.
DANÇA DA LARANJA OU LIMÃO: Formam-se alguns casais para a dança. Uma laranja(ou limão) é colocada entre as testas de cada par. Os casais devem dançar, sem tocar na fruta(as mãos devem ficar atrás). Se a laranja cair no chão, o casal é desclassificado. A música prossegue até que fique só um casal.
DANÇA DAS CADEIRAS: Forma-se um círculo com tantas cadeiras quantos forem os participantes menos uma. Os assentos ficam voltados para fora. Coloca-se música e todos dançam em volta das cadeiras. Quando a música parar, cada um deve sentar numa cadeira. Um participante vai sobrar e sair da brincadeira. Tira-se uma cadeira e a dança recomeça. Vence quem conseguir sentar-se na última cadeira.
CORREIO ELEGANTE: É o serviço de entrega de bilhetes durante a festa. Quando não estiver entregando bilhetes, o entregador passeia pela festa, oferecendo o serviço de correio. A mensagem é escrita num cartão ou papel colorido. Se a festa for grande, o correio pode ficar numa mesa, onde os cartões são escritos por uma pessoa e entregues por outra. Para facilitar, pode-se levar alguns cartões prontos, com quadrinhas amorosas ou engraçadas.

JOGOS DE BARRAQUINHAS

PESCARIA: trata-se de um tanque de areia, onde se colocam peixinhos feitos de lata ou papelão. Cada um (peixe) tem na boca uma argolinha, que deverá ser enganchada pelo anzol do pescador, ou jogador. Cada peixinho tem um número que corresponde a uma prenda.
DERRUBA LATAS: Sobre uma mesa, coloca-se latas vazias de refrigerante. Faz-se uma linha de arremesso a cerca de 1,5 metros de distância. Cada participante recebe três bolinhas, para fazer três tentativas. O coordenador anota o número de latas derrubadas em cada tentativa. Vence quem derrubar mais latas.
JOGO DAS ARGOLAS: Enche-se com água garrafas de refrigerante (plásticas e grandes) e aperta-se bem as tampas. Arruma-se as garrafas no chão com pelo menos um palmo de distância entre elas. Faz-se uma linha de arremesso a cerca de 1,5 metros de distância. Cada participante recebe cinco argolas (ou pulseiras), para fazer cinco tentativas. Vence quem acertar mais argolas nos gargalos das garrafas.
JOGO DO RABO DO BURRO: Desenhe um animal de costas ou de lado numa cartolina e prenda numa parede. Cada participante deve receber uma etiqueta autocolante grande (já destacada). De olhos vendados, deve caminhar até o desenho e colar o rabo do animal. Quem colocar o rabo mais próximo do local correto é o vencedor.
JOGO DO BIGODE: Desenhe numa cartolina um rosto masculino e prenda numa parede. Cada participante deve receber, em cada mão, uma etiqueta autocolante de tamanho médio (já destacada). De olhos vendados, deve caminhar até o desenho e colar os dois lados do bigode. Quem colocar o bigode mais próximo do local correto é o vencedor.
PESCA DA MAÇÃ: Sobre uma mesa, coloca-se uma bacia com água(filtrada) e maçãs boiando. Cada participante deve colocar as mãos nas costas e inclinar-se sobre a bacia e morder uma maçã. Quem conseguir ganha um brinde.
TIRO AO ALVO: coloca-se um alvo a certa distância; o jogador deverá acertá-lo utilizando bolas(tênis). O alvo acertado normalmente é o prêmio.
TOCA DO COELHO: várias tocas numeradas são espalhadas num espaço fechado da barraca. Os jogadores apostam em determinada toca. Quando se soltam ali os coelhinhos ou porquinho da índia, vence o jogador da toca em que ele primeiro entrar.