Por favor, avise que esteve aqui, deixando pelo menos um "oi"!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Qual é a missão do catequista na Igreja?

Não há muito tempo, a catequese que se fazia, não apresentava grandes exigências à pessoa do catequista. Era suficiente que soubéssemos “pegar no catecismo” e “explicar” um pouco as respostas. Mas hoje, todos sabemos, que não sucede assim. Por isso, é bom, de vez em quando, pensar sobre a nossa missão de catequistas.

No mundo e na Igreja mudaram muitas coisas

Melhorou o conceito que a pessoa humana tem de si própria, avançou-se na compreensão da fé e da revelação de Deus, aperfeiçoaram-se os métodos pedagógicos, descobriu-se uma nova forma de evangelizar.

Tudo isto afectou a catequese. Mas esta catequese de que precisam as pessoas e a Igreja de hoje, exige dos catequistas uma maneira de ser e umas qualidades muito definidas.

“O catequista é um mediador que facilita a comunicação entre as pessoas e o mistério de Deus, dos sujeitos entre si e com a comunidade. Por isso, deve empenhar-se, a fim de que a sua visão cultural, a sua condição social e o seu estilo de vida não representem um obstáculo para o caminho da fé, criando antes as condições mais adequadas, para que a mensagem cristã seja procurada, acolhida e aprofundada” (DGC 28).

O catequista ideal não existe.

O catequista não nasce, faz-se. A catequese exige um bom catequista e é preciso não ter medo de ser exigente. Com a convicção que nos vamos formando pouco a pouco.

É importante recordar, para nos animar, o trabalho silencioso, humilde e generoso de tantos catequistas simples que vão transmitindo a sua fé aos outros.

“O catequista será, antes de mais, testemunha privilegiada da fé cristã, pois só a partir da própria experiência de fé poderá acompanhar e ajudar os outros na sua própria caminhada. Assim como Cristo ensinava com toda a sua vida, também o catequista tem de testemunhar com a vida, a mensagem que transmite. (…)

Catequista competente

Além de testemunha, o catequista é também aquele que sabe ensinar, aquele que pela sua preparação qualificada, é capaz de apresentar a riqueza da mensagem de Cristo como Boa Nova para as pessoas de hoje.
Por isso, deve conhecer o que ensina, ter um conhecimento global e actualizado da Mensagem Cristã; e precisa também de saber como ensinar, ser pedagogo. (…)
Finalmente, tendo em conta que a catequese deve iluminar a vida e levar a fé à vida, educando no compromisso e solidariedade com os problemas humanos, o catequista tem de ser sensível aos problemas reais das pes-soas, ter capacidade para ler os sinais dos tempos e estar comprometido na procura da sua solução” (Formação de Catequistas. Plano de acção, pp.55-57).
À luz dos documentos podemos fazer sobressair alguns traços característicos da missão do catequista:

-um enviado de Deus, através da Igreja, a ser portador da Boa Nova do Evangelho ao mundo de hoje;

- mestre que ensina (sabe) e educador que sabe ensinar, acompanhar e conduzir;

- testemunha que vive a fé que anuncia na própria vida, de modo que o seu exemplo dá credibilidade à mensagem que proclama.


Fonte: Edições Salesianas

2 comentários:

  1. ADELINO NESTA SEMANA DEDICADA À VOCAÇÃO DOS CATEQUISTAS, NADA MELHOR PARA NÓS CATEQUISTAS REFLETIRMOS SOBRE A NOSSA VOCAÇÃO O NOSSO CHAMADO. E SEU TEXTO NOS PROPORCIONA ISSO, PARABÉNS.
    UM ABRAÇO FORTE.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Vim trazer meu abraço e desejar uma belíssima semana pra você. Desculpe minha ausência, mas nem sempre consigo fazer visitas, embora goste muito de estar sempre aqui.

    ResponderExcluir

Fique a vontade, sua opinião é muito importante!